25 de fev de 2008

Manter o tradicional ou apostar no "moderno"?

Já dizia o velho ditado: gosto não se discute, se lamenta... :-)
Nesses anos de experiência cuidando da trilha sonora do momento
mais importante da vida das pessoas, tenho visto muitas coisas interessantes.

Muitas pessoas acham que as músicas tradicionais de casamento são bregas, e acabam pecando feio na hora de sair do tradicional e escolher algo mais “moderno”.
Por isso muito cuidado ao escolher as músicas do seu casamento! Bom senso nessa hora é a melhor coisa...


Ouça a música, entenda a letra...se for em outra língua, pegue a tradução.

Gosto é gosto, como eu já disse, mas evite para o seu casamento:

Músicas depressivas ou fúnebres – não combina mesmooo com casamento.
Exemplos: Qualquer coisa do Evanescence, Linkin Park, Nirvana, Raul Seixas...

Hits - muito conhecidos, a melodia é linda, mas que não caem bem numa cerimônia, se você prestar atenção na letra, exemplos:
“One” - U2 - Essa música fala sobre rompimento de um relacionamento...
“How could an angel break my heart?” - uma mulher que vê seu amado falando de outra...
"Against All Odds" Phil Collins - mais um término de relacionamento
"My Heart Will Go" Celine Dion e "I will always love you" - Whitney Houston - Tudo bem que são trilhas sonoras de filmes que fizeram o maior sucesso...mas a primeira música é sobre a morte do verdadeiro amor dessa pessoa, nada mais fúnebre e a segunda sobre um relacionamento rompido...
“Quando a chuva passar” – Ivete Sangalo – Mais uma de rompimento – e que música triste!
“November Rain” – Guns N’ Roses – eu, particularmente, amo essa música, mas vc já viu o clipe? Sabe do que a noiva do clipe morre? Ela se suicida....

Músicas estranhas que já me pediram para casamento:
Balada do Louco (Ney Matogrosso) – acredita???
One Love (Bob Marley) – nada contra reggae, mas...
Sympathy for the Devil – Rolling Stones (brincadeira???)
She – nada de mais, se não fosse escolhida para a entrada do noivo....


Deixe as músicas que você curte para a festa!!! Lá pode tudo rolar!!

Quer dicas de músicas adequadas e muito bonitas? Clique aqui!

19 de fev de 2008

Lá estava ele...

Lá estava ele.

Sozinho novamente, se confrontando com seus sonhos e desejos. Pensava que poderia ter uma vida melhor, talvez mais aventuras, mais coisas novas em sua vida. Talvez morasse em Madri ou Paris. Mas sabia que seu caminho fora definido por suas próprias escolhas, trilhadas conforme o seu próprio plano, sejam bem planejados ou não, sejam os planos que ele queria ou não.

Ao acordar, abria os olhos e não conseguia muito bem definir o que pensava, quem ele era, qual o caminho certo. Sabia que o tempo passara e que tudo que passou não voltaria mais, sabia também que o futuro ainda era algo indefinido, o futuro estava apenas esperando suas ações pra que acontcessem.Ele sabia disso, mas não sabia bem o que esperava do futuro, ou se realmente esperava algo. Talvez ele vivesse uma vida que não desejara, mas que conseguira por necessidade, por esforço próprio, ou talvez por não fazer esforço algum.

Se sentia inerte perante os acontecimentos, ora se sentia feliz, ora muito triste. No fundo ele queria acreditar que sua vida fora o que desejara até o momento atual, mas não tinha muita crença nisso.

Ele definira sua vida como algo que precisava passar, mas se ressentia por não ter lutado mais, por não ter arriscado mais, por não ter acreditado mais no que a vida tinha a lhe oferecer.

Algumas vezes via filmes, lia poemas, sofria com isso, pois sentia na pele as conseqüências de todos os seus atos, sentia na pele as marcas dos seus erros, isso lhe destruía aos poucos, lhe derretia a cada dia, como o gelo ao ser exposto ao sol.

Ainda tem esperança no coração de que as coisas mudem, pois sabe que fases vem e vão, mas não sabe muito bem como mudar isso.Tudo que ele quer no momento, é se sentir vivo, ter a alegria no coração, e não perder a fé no que há de vir, luta com todas as forças pra que isso ocorra, mas em alguns momentos fraqueja, cai e sente o desalento tomar-lhe as idéias.

Tenho certeza que ele conseguirá vencer seu desafio e voltará a sentir a vida correndo nas suas veias novamente, porque se não conseguir se tornará um cadáver em vida. E ele já vivera muito tempo uma morte em vida. Não queria mais isso. As coisas teriam que mudar de qualquer jeito.

Às vezes encontram ele por aí em algum lugar, dando sorrisos, fazendo brincadeiras, sua máscara está muito bem colocada, é quase imperceptível as sensações internas que lhe fazem se sentir tão vazio. Mas ainda sim tenho fé nele!

(texto adaptado por mim extraído do blog do meu amigo saxofonista Fábio Ramos (www.confissoesdeumsaxofonista.blogspot.com)

11 de fev de 2008

Mulheres no Sax


Por que é tão difícil vermos uma mulher tocando saxofone?
Estava procurando hoje no Google algo sobre esse assunto para colocar aqui no blog e fiquei surpresa e decepcionada: mesmo em sites internacionais informações sobre saxofonistas mulheres é muito difícil!
Será que o sax é um instrumento considerado masculino?

No Brasil, só consegui informações de duas pessoas: Daniela Spielmann e Christiane Matallo:

Daniela Spielmann: www.danielaspielmann.com
Considerada uma das poucas saxofonistas brasileiras em atividade, a carioca Daniela Spielmann não perde uma oportunidade de tocar seu instrumento. Integrante do grupo de choro Rabo de Lagartixa, do trio feminino Mulheres em Pixinguinha e do grupo instrumental Sincronia Carioca, ela desenvolve ainda um trabalho solo, coroado em 2001 com o lançamento de um disco individual. Neste site você poderá conhecer todas as facetas da instrumentista, compositora e arranjadora que vem angariando admiradores nos quatro cantos do mundo.

Christiane Matallo: www.christiane-matallo.com.br
Dona de uma técnica ímpar, Christiane é a única bailarina do mundo que toca saxofone tenor e sapateia ao mesmo tempo. O número já pôde ser visto em diversos programas de TV e pode ser apreciado no espetáculo "da Corda pro Pé". Em julho de 2006 a bailarina ministrou aulas de sapateado no New York City Tap Festival, em Nova York, à convite de Tony Wagg e também no Los Angeles Tap Festival, em agosto, como professora especialmente convidada por Jason Samuels e Chloe Arnold.

Internacionais já ouvi: Mindi Abair, Candy Dulfer e Pamela Williams.
Você tem essa resposta pra mim? Por que é tão difícil ver mulheres saxofonistas??

Fico muito feliz em ser uma representante da classe! Afinal, existem muitas musicistas fantásticas nesse Brasil e mundo afora, não é mesmo?

7 de fev de 2008

Comments...não deixe de comentar!

Olá, visitantes queridos do meu blog!
Como estão de ano novo?
Gostaria que vocês deixassem comentários no blog, com críticas, sugestões, comentários...prometo que responderei a todos!
Precisa de partitura? Dicas para o seu casamento? Está aprendendo tocar? Deixe seu comentário!!!
Abraços ! Lilian